terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Explicação do Final de Birdman



 (Contém Spoilers)                                           TEXTO DE: Matheus R. B. Hentschke 
 

Se inúmeras vezes eu julguei Birdman como pretensioso, terei de ser justo e dizer o mesmo de mim, uma vez que tentar explicar o final de uma obra aberta se encaixa perfeitamente em tal categoria. Entretanto, tentarei faze-lo apenas a título de opinião e com a finalidade de gerar discussões acerca do mesmo e não definir com exatidão o que Iñarritu pretendia com seu final. 


Na literatura, há uma categoria de histórias que se enquadram no chamado realismo fantástico, que consiste em inserir elementos surreais na realidade e torná-lo trivial, do cotidiano. Murilo Rubião e Franz Kafka são dois grandes exemplos do gênero e muitos, ao terminarem de assistir à Birdman, julgaram ser mais um caso do realismo fantástico. Em minha opinião, um ledo engano. Desde o início, Riggan Thomson se mostra desequilibrado e esquizofrênico, seja por sua ideia de acreditar que consegue voar, seja pelos seus acessos de fúria em seu camarim. Contudo, a cena final gera uma forte dúvida no espectador, que já estava convencido da insanidade do protagonista. Alejandro González Iñarritu tenta ludibriar seus espectadores que irão se perguntar após o final: "Ele era louco ou realmente tinha superpoderes?” Ficando preso em tal armadilha do diretor.

O que de fato ocorre é que quando Riggan Thomson, no ato final de sua peça, dá um tiro, em que não se vê com clareza aonde, ali ele se suicidou e não deu um tiro no nariz, como a direção induziu seus espectadores. Com sua vida nos últimos minutos, acaba por ter uma última alucinação antes da derradeira morte e a partir do momento em que o filme corta para o hospital, tudo aquilo nada mais é do que um fruto da imaginação de Thomson. Ali, ele se imagina importante, como poucas vezes fora na vida: conseguira o sucesso e o reconhecimento tão desejados em sua vida profissional, o carinho de sua mulher e filha de volta e cada vez mais perto de se tornar o Birdman, com sua fratura no nariz. Na cena final, em que sua filha olha pela janela e supostamente o vê voando, nada mais é do que uma alusão de que em vida Riggan Thomson não conseguiu ser o que queria, porém em seu último minuto de vida, assim como a personagem Macabeia de Clarice Lispector em A Hora da Estrela, conseguiu alçar o seu último e mais glorioso voo.
 


 

 

 

 
 
 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário